Dança Afro – Corporeidade e Ancestralidade

Regina Santos

É bailarina, historiadora (Unicamp-Campinas), arte-educadora e pesquisadora da cultura tradicional africana e afro-brasileira. Com formação em Danças Brasileiras e Africanas no Brasil (Casa de Cultura Tainã, Instituto Brincante, Funceb, Fanta Konate, Youssouf Koumbassa…), e no exterior (École des Sables-Senegal, Centre Momboye-Paris). Possui Formação em Canto ( Oficina Coral Unicamp e Coral Gilberto Mendes/ Valinhos); Em percussão popular brasileira (C C Tainã, Inst. Brincante, Bloco Afro Ilú Obá de Min) e percussão africana mandeng (Rafael Fazzion, Bangaly Konate África Raíces- SC, Bolokada Conde, Babara Bangoura, etc). Como artista realizou espetáculos como “Britadeira” e ”Em Obras“com grupo Batuntã, “Un Neaveau Pas”dir. Nora Chipaumire, Ecoles de Sables, Senegal, “Brasil- África– O caminho de volta” concepção e dir. Regina Santos, “Próximo Passo – O espetáculo” dir. Ivaldo Bertazzo. Como coreógrafa já criou e interpretou composições próprias e sob encomenda para diversos artistas como Iara Rennó, Leo Cavalcanti, Bixiga 70, dentre outros. Como educadora fez parte do Programa Curumim-SESC-SP, Programa Vocacional e Fábrica de Cultura. Realiza oficinas, workshops e formações de música e dança para diversos públicos. Integrante do Bloco Afro Ilú Obá de Min desde 2014. Professora de Dança Afro no Ilú Obá de Min Educação, Cultura e Arte desde 2015. Foi Educadora do NEER – Núcleo de Estudos Étnicos Raciais da SME- Secretaria Municipal de Educaçao de São Paulo.
É formadora do Coletivo IRETÍ – Formação em Cultura Negra para educadores (Contemplado pelo ProAC Cultura Negra 2014 e 2015.

Sobre o Curso

Por meio das danças tradicionais africanas (Senegal e Guiné) bem como danças afro-brasileiras pesquisaremos gestos, movimentos, símbolos e energia contidos nessa cultura milenar.

O intuito da aula é introduzir as danças tradicionais do Oeste Africano (Guiné e Senegal) e danças afro-brasileiras populares ou de religiões de matrizes africanas.  O intuito é perceber e (re)descobrir por meio dos movimentos e sua dinâmica, tônus, força, sutilezas ao mesmo tempo que exercita e fortalece a musculatura desenvolvendo consciência corporal.

O estudo do gestual inspira conexões com o simbólico de cada dança e assim, proporciona novas maneiras corporais de se expressar e se reconectar consigo, com o outro e com a natureza.

As aulas são realizadas com música ao vivo executada por pesquisadores dessa musicalidade.

A percussão ao vivo dá um caráter totalmente distinto à aula possibilitando uma vivência mais profunda com a música original e com a sinestesia entre dança e músico, corpo e tambor!

Turma

  • Segundas-feiras, das 20h às 21h30 

Aberto a mulheres e homens, com ou sem conhecimento prévio.

Vagas limitadas!

 

 

Informações e Inscrições